Lucio Falleiros

Familia Cardoso

11

E-mail Imprimir PDF

A compra da Fazenda São José está registrada sob o número 731, no dia 26 de março de 1904. “Freguesia de Nuporanga – Denominação : fazenda Santo Antônio, sítio São José- Sítio composto de terras de campo e de cultura, pastos formados, casa de morada, rego de água, monjolo, moinho, seva para porcos, paiol, cercas de arame e mais benfeitorias confrontando com o rio Sapucaí, Cândido José Carlos e seus herdeiros, fazenda São Joaquim, dr. Francisco de Almeida Prado, fazenda dos Lucas e João Cândido Alves Ferreira e que houveram por compra a João Ferreira Diniz e João de Assiz Pereira Mello, Oficial Guilherme (a) – ADQUIRENTE: Major José Cardoso da Silva, residente nessa comarca, .TRANSMITENTE: José Machado e D. Luiza Machado, residentes nessa comarca.

TÍTULO: Permuta  - FORMA DE TÍTULO – Escritura pública de 15 de março de 1904, pelo tabelião Aureliano Antônio da Silva, desta cidade. VALOR DO CONTRATO:Quinze contos de réis, 15.000$000.

Em agosto de 1905 o Major mudaria para o município de São Joaquim, pois comprara além da Fazenda São José a Fazenda Cachoeirinha. Na primeira passou a morar com sua mãe, esposa e filhos.

Em São Joaquim o Major Cardoso continuou com suas atividades políticas como vereador, agora defendendo os interesses de São Joaquim na Câmara Municipal de Nuporanga.  Ocupou a prefeitura em nossa cidade em 1914, quando substituiu o sr. Alfredo José Nogueira.  Foi presidente do subdiretório do P.R.P., da facção que em 1918 passaria a formar uma ala dissidente.

 

À esquerda tia Maricas, no meio tio André de suspensório, tio Chinas, tio Alcibíades com lenço na cabeça e outros elementos da família Cardoso, às margens do rio Sapucaí, em dias de pescaria ( Foto  1920 )

12

E-mail Imprimir PDF

DONA PRESCILIANA  ( na varanda da casa do Major, na esquina da Praça 7 de setembro, em São Joaquim)
Major Cardoso faleceu em 12 de março de 1920,o jornal “ A Tribuna” de 16/03/1920 ocupou a sua primeira página toda para noticiar sua morte.  Sua viúva faleceu em 31/12/1941.  O casal está enterrado no cemitério de São Joaquim.

Sentados: Mariquinha Machado esposa de Aristides Cardoso, Alice Alzira Cardoso de Oliveira, Augusto Luiz Rodrigues, Prisciliana Laura (viúva do Major),  padre Afonso Rodrigues, Alcebíades Cardoso e Aristides Cardoso. Em pé: Agostinho de Oliveira Falleiros, Angélica Cardoso, Orozina (Petinha), Assuero Cardoso e sua esposa Joana Duartes, na frente Jupira de Oliveira Falleiros, Ivone, Zita, Arnaldo Cardoso, Tarsília, Alda Cardoso,  Cecília e Totonho, Luzia de Oliveira Falleiros, Lucio de Oliveira Falleiros e Afrânio Cardoso.

13

E-mail Imprimir PDF

Casa construída em 1902 pelo médico baiano dr. José Esmeraldo de Oliveira, na esquina da atual Praça 7 de setembro,vendida ao Major em 1905.  O bangalô que aparece à direita, foi construído em 1930 ara morada do farmacêutico André, filho caçula do Major.  Antes do bangalô, ali existiu a Capela São José, inaugurada em 1904.
Nesta foto de 1930, aparece a casa do Major, quando ela foi adaptada para funcionar a Farmácia Globo do seu filho farmacêutico André Cardoso



 Foto de 1930- casa do major, na esquina da praça sete, onde hoje(2009) está o cartório do senhor Wilmar Silva

14

E-mail Imprimir PDF

PRICILIANA LAURA AUGUSTA DA CONCEIÇÃO ( MADRINHA VOVÓ )
Era filha JOAQUIM MACHADO NETTO e LUDOWINA MARIA DE OLIVEIRA.
Ele faleceu em 21/01/1883 e ela 12/01/1992 e tiveram 8 filhos:
FRANCISCO DE PAULA MACHADO NETTO (1839-1883 )
JOAQUIM MACHADO NETTO JÚNIOR nasceu em 1841
CAMILO LELLIS MACHADO NETTO nasceu em 1843
VALÉRIO MACHADO DO ESPÍRITO SANTO nasceu em 1844
JOSÉ MACHADO DO NASCIMENTO ???
ANNA ISOLINA(*1852 )---Priciliana (*1857 ) e EMÍLIA

As três filhas de Joaquim Machado Netto e Ludowina Maria de Oliveira Prisciliana Laura Augusta c.c. Major Cardos; Emília c.c. Doca F. Cândido e a irmã solteira Anna Isolina ( Sinhana)

Foto de Priciliana, 3 anos antes de morrer

15

E-mail Imprimir PDF

OS DOZE FILHOS DO MAJOR CARDOSO
F1-ANÉZIA  A  FILHA  MAIS  VELHA

Página 3 de 29

You are here: Livros Familia Cardoso