02

Imprimir

PREÂMBULO.
FAMÍLIAS : FALEIRO, FALEIROS OU FALLEIROS.


Quando se fala sobre essas famílias o primeiro nome que nos vem à mente é o de RUI FALEIRO, que viveu em torno de 1500. Seu falecimento parece ter acontecido em 1544.    Ele nasceu no município de Covilhã, situado bem no centro de Portugal.
Era cosmógrafo, profundo conhecedor de astronomia, cartografia e astrologia.  Foi o principal organizador da viagem de circunavegação de Fernão de Magalhães, em Sevilha.
Serviu aos reis D. João II e D. Manoel I.  É considerado como o primeiro a definir o método da avaliação da longitude a partir do lugar do observador.
Seu irmão FRANCISCO FALEIRO, em 1525 publicou em Sevilha o “TRABALHO DA ESFERA Y DE LA ARTE DE MAREAR”, no qual mostra os conhecimentos de seu irmão.
RUI FALEIRO não acompanhou Fernão de Magalhães em sua viagem, existindo para esse fato duas versões:
A primeira afirma que, nas vésperas da partida,  Rui Faleiro determinou seu próprio horóscopo e os astros vaticinaram-lhe  morte violenta, caso embarcasse. A segunda diz que ele enlouqueceu e por isso não embarcou.

Há ainda na internet uma referência sobre os CARVALHAES FALEIROS DE BRAGA,.dando uma árvore genealógica que tem início com o português da cidade de Braga, bem ao norte de Portugal, RUI ou RODRIGO FALEIRO, famoso e destro piloto de Cristovão Colombo.Casou pelos anos de 1480, com CATARINA ANNES.  Tiveram apenas um filho, DIOGO DE CARVALHAES FALEIRO, que recebeu ordens menores em 1508 e casou com  MARIA LUIZ em torno de 1510. e tiveram cinco filhos :GREGÓRIO DE CARVALHAES FALEIRO, DIOGO DE CARVALHAES FALEIRO, MANOEL DE CARVALHAES FALEIRO, MARIA DE CARVALHAES VIEGAS , CATARINA DE CARVALHAES DE ANTAS e ANNA DE CARVALHAES FELIPE (ver internet Carvalhaes Faleiros de Braga ).
Em 1579 há notícias de um habitante das ilhas dos  Açores, da ilha de Santa Maria, com o nome DIOGO FERNANDES FALEIRO, que em torno de 1579, ajudou seus familiares que estavam em dificuldades e até passando fome, nas ilhas, a emigrarem para o Brasil.  Nesse  período de 1550 a 1850 muitos moradores do arquipélago dos Açores emigraram para o nosso país. .A família Faleiro em Portugal deveria ser bastante numerosa pois na internet, em (Gene.”All.net- Faleiro”) aparece mais de uma centena  de portugueses com sobrenome  FALEIRO.  Em Portugal existem muitos acidentes geográficos com o nome de FALEIROS.
O presente  ESTUDO, sobre essas três famílias, que na verdade são uma só, começou   a ser realizado, por mim, a partir de Junho de 2007. Ele só foi possível::
Por existir o livro editado em 1968 por OSÓRIO FALEIROS DA ROCHA, que  contou com o auxílio de José Alves de Souza Faleiros Júnior ( Juquinha).  Ao livro foi dado o nome de “APONTAMENTOS GENEALÓGICOS DAS FAMÍLIAS FALEIROS , ROCHA, NASCIMENTO, NOGUEIRA e elementos a elas ligados.” Inicia o livro dizendo: “Há vários anos, reunimos os vagos informes, a custo conseguidos, relativamente à nossa família, demos a  JOSÉ JUSTINO FALEIROS , o papel de patriarca , do tronco dos Faleiros, na parte radicada e a desenvolver-se no Nordeste do Estado de São Paulo,Triângulo e em todo o sul de Minas Gerais.  Ficou então lançada a versão corrente entre as pessoas consultadas: JOSÉ JUSTINO FALEIROS, viera de  Oliveira ou de  Tamanduá, M.G., atravessara o Rio Grande e se fixara numa fazenda próxima ao “ Arrayal Bonito do Sertão do Capim Mimoso”, que , elevado a Freguesia, veio a receber o nome de Vila Franca do Imperador, instalada em 1824.